Processo de aquisição

Tendo em vista a substituição do "velhinho" Aviocar, foi lançado em finais de 2004 um concurso público internacional para aquisição de novas aeronaves de transporte aéreo táctico e de vigilância marítima.

Em resultado deste concurso foi adjudicado à empresa EADS CASA - Construcciones Aeronauticas SA o fornecimento de 12 aeronaves C-295M configuradas para realização de missões de transporte aéreo táctico, sendo que cinco destas aeronaves serão igualmente configuráveis para missões de vigilância marítima (três delas efectivamente equipadas com consolas tácticas e respectivos sensores).


A aquisição destas aeronaves foi sustentada através do modelo de "leasing operacional", conforme determinação do Ministério da Defesa Nacional, tendo os Contratos de Fornecimento e de Locação das 12 aeronaves C-295M sido celebrados nas instalações da Base Aérea Nº 1 - Sintra, em 17 de Fevereiro de 2006. 


Após entrada em vigor do contrato de fornecimento, atentos os prazos de entrega contratuais, a  EADS CASA iniciou os estudos e desenvolvimentos conducentes à fabricação da versão portuguesa do C-295M. Este desenvolvimento tem sido acompanhado de perto pela Força Aérea Portuguesa, tendo em vista garantir o cumprimento dos requisitos operacionais e logísticos contratualmente estabelecidos.


À semelhança de qualquer outra aeronave, o C-295M (versão portuguesa) passou pelas diversas fases de estudo/produção/fabricação, às quais se seguiu a fase de Certificação, culminando com a emissão do certificado de voo experimental. Durante a fase de Qualificação, foi comprovado o cumprimento dos requisitos contratualizados para cada sistema da aeronave. Por último será desenvolvida a fase de Aceitação, concluída com a entrega oficial das aeronaves.


A Força Aérea em particular e o país em geral têm à sua disposição mais um "meio aéreo" tecnologicamente avançado, com capacidades substancialmente superiores às do seu antecessor Aviocar, para empregar em missões dentro e fora do espaço aéreo nacional. 

As suas diferentes configurações permitem operar, em ambiente amigo ou hostil, em pistas curtas e não preparadas, permitindo-lhe transportar para além da tripulação:

-69 passageiros;

-45 paraquedistas completamente equipados;

-24 macas para transporte de feridos e 4 médicos;

-5 paletes standard (108"x88"), limitado por um payload de 8000 kg a uma distância de 1500 Km;

-Plataformas de lançamento de carga pelos sistemas CDS - Container Delivery System e LAPES - Low Altitude Parachute Extracting System.


Para a execução das missões de Vigilância, o avião é configurado com um sistema de missão paletizado designado por FITS- Full Integrated Tactical System. Para além das duas estações dedicadas aos operadores, a palete é ainda constituída por "racks" de equipamentos que integram sistemas de detecção de alvos (radar 360º), de detecção e avaliação de poluição marítima (SLAR - Side Looking Airborne Radar e sensores de IR/UV Infrared/Ultraviolet), de detecção e registo visual como os sistemas electroóptico de alta definição, câmaras fotográfica e de vídeo.  
 
Na missão de Busca e Salvamento, a configuração inclui uma palete com cadeiras para dois observadores (junto às bolhas de observação diametralmente opostas na parte posterior do avião) e um lançador de marcas de fumo/flares iluminantes/marcas de mar. Na rampa será instalado um dispositivo que permite efectuar o lançamento controlado do kit de sobrevivência MA-1 (com balsas salva-vidas e equipamento básico de sobrevivência em ambiente marítimo).  

A configuração para Fotografia Aérea é conseguida através da instalação de uma palete que inclui a máquina fotográfica e respectivos acessórios, cadeira do operador e mesa de apoio. Esta configuração só é possível em duas das aeronaves que têm como característica especial a instalação (de origem) de uma janela de grandes dimensões na parte de baixo da fuselagem que permitirá, à componente óptica do sistema, a visualização do terreno.

Para a missão de SIFNAV (Formação de Navegadores), a Força Aérea desenvolveu um sistema integrado numa palete, que pode ser facilmente incorporado em qualquer das versões da aeronave permitindo a realização desta missão. 


 

  COPYRIGHT © 2019 FAP - DCSI - WEBTEAM